- bepicolombo in low earth orbit - Japão e Europa preparam missão espacial a Mercúrio para outubro
Primeiro sobrevoo em Mercúrio está previsto para três anos após o lançamento. Ilustração da nave espacial BepiColombo anexada ao estágio superior e adaptador de lançamento de carga útil (à esquerda) após o lançamento.
ESA/ATG medialab
A primeira missão da Europa e do Japão a Mercúrio já tem data marcada: 19 de outubro, anunciou nesta sexta-feira (27) a Agência Espacial Europeia (AEE).
A missão conjunta da AEE com a Agência Japonesa de Exploração Aeroespacial (AJEA) é chamada de BepiColombo e será lançada em um foguete do tipo Ariane 5 do Porto Espacial Europeu em Kourou, na Guiana Francesa. Um trio de naves espaciais irá a Mercúrio.
As naves espaciais viajarão juntas: um módulo de transferência transportará os dois orbitadores científicos – o orbitador da AEE e o orbitador da AJEA- usando uma combinação de energia solar e propulsão elétrica, e nove sobrevoos de gravidade da Terra, Vênus e Mercúrio.
A data escolhida representa a primeira opção a ser lançada, levando em consideração alguns testes adicionais não planejados realizados em Kourou. A janela de lançamento permanece aberta até 29 de novembro.
“Tivemos um grande começo na nossa campanha de lançamento em Kourou, e estamos no caminho certo para o lançamento em menos de noventa dias”, diz Ulrich Reininghaus, gerente de projetos da AEE na BepiColombo.
“Temos um cronograma incrivelmente cheio, mas é ótimo ver nossas espaçonaves sendo construídas juntas para o momento final”, disse Reininghaus.
Desde que as aeronaves chegaram ao Porto Espacial em maio, muitos preparativos essenciais foram concluídos. Por exemplo, as espaçonaves foram equipadas com seus cobertores protetores de alta temperatura, tanques de xenônio e nitrogênio foram verificados, carregados e pressurizados, e os testes de implantação e instalações finais dos painéis solares estão em andamento.
Simulações para operações importantes também começaram no centro de operações da AEE em Darmstadt, na Alemanha. Os profissionais também estão praticando eventos não-rotineiros para se preparar para possíveis eventualidades na jornada para Mercúrio.
A espaçonave composta fará o primeiro sobrevôo em Mercúrio apenas três anos após o lançamento. Uma série de instrumentos científicos estará ativa durante o voo planetário, com as webcams do módulo de transferência oferecendo o potencial para capturar imagens simples antes que a câmera principal esteja operacional na órbita de Mercúrio.
Uma vez separadas em suas órbitas finais, as duas naves científicas farão medições complementares do planeta e de seu ambiente, desde o seu interior profundo até sua interação com o vento solar, para fornecer a melhor compreensão de Mercúrio até hoje. Os resultados fornecerão uma visão de como o planeta mais interno de um sistema solar se forma e evolui próximo a sua estrela-mãe.
Em 2014, a Nasa lançou a sonda Messenger, que circulou Mercúrio durante quatro anos.
Montagem mostra diferentes estágios da viagem até Mercúrio
ESA/ATG medialab
Engenheiros que trabalham na integração do Orbitador Mercury Magnetospheric (OMM) japonês da missão BepiColombo como parte dos preparativos de lançamento na Europa.
ESA – S. Corvaja

LEIA TAMBEM  Cães correm mais rápido para salvar o dono ao ouvi-lo chorar, diz estudo