Segundo ministro Gilberto Kassab, os US$ 600 milhões fazem parte de uma linha de crédito de US$ 1,5 bilhão que será aplicada ao longo de seis anos. União é a avalista do financiamento. Kassab anuncia financiamento de US$ 600 milhões com o BID para projetos de inovação
O governo federal assinou nesta quarta-feira (1º) com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) um empréstimo de US$ 600 milhões para financiar projetos de inovação, informou o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.
Segundo o ministro, os US$ 600 milhões correspondem à primeira parcela de uma linha de crédito de US$ 1,5 bilhão, cujo convênio também foi assinado nesta quarta.
A assinatura dos documentos ocorreu no Palácio do Planalto durante a reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia (CCT), com a presença do presidente Michel Temer.
Os contratos foram firmados entre o BID e a Financiadora de Estados e Projetos (Finep), que é vinculada ao Ministério de Ciência e Tecnologia e vai gerenciar a aplicação dos recursos. Nesta parcela de US$ 600 milhões do empréstimo, a Finep entrará com uma contrapartida de US$ 103,6 milhões, informou o governo.
O dinheiro do financiamento do BID e os recursos próprios da Finep serão destinados a empresas que desejam investir em inovação, de acordo com o governo. A União será a avalista do empréstimo com a instituição internacional.
“Uma das etapas dessa reunião foi a assinatura do contrato da Finep com o BID, com aval do governo brasileiro, US$ 1,5 bilhão. […] Todos esses recursos serão disponibilizados para políticas públicas, para pesquisas no campo da ciência e da inovação”, explicou Kassab em entrevista ao final solenidade.
O ministro afirmou ainda que os recursos obtidos por meio do empréstimo com o BID serão aplicados ao longo de seis anos.
‘Motor da economia’
Durante a reunião do conselho, o presidente Michel Temer afirmou que a parceria entre o Brasil e o BID é “produtiva” e destacou a importância de investir em inovação.
“A inovação é o motor da economia contemporânea. Investir em inovação, como fazemos, é aproximar a atividade criadora e a produção”, declarou.
De acordo com o secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério de Ciência e Tecnologia, Álvaro Prata, a Finep vai abrir editais para que as empresas interessadas em obter financiamentos para projetos de inovação se candidatem.
“Na medida em que esses recursos [a parcela de US$ 600 milhões] forem sendo utilizados, virá o restante, que totaliza US$ 1,5 bilhão. Estamos falando de recursos que se aproximam de R$ 6 bilhões”, destacou Prata.
A Finep informou que a linha de crédito oferece cinco anos e meio de carência e outros 25 anos para o pagamento do empréstimo.
A financiadora ressaltou que os recursos serão destinados para os seguintes setores:
químico
mineração
biotecnologia
tecnologia de informação e comunicações
metal mecânica
saúde

LEIA TAMBEM  Pesquisadores confirmam teoria da relatividade de Einstein ao estudar estrela orbitando em buraco negro